06 de setembro de 2013

Floresta, Lixão e Futuro

Publicado no Antimidia

Betinho que está no projeto há 3 anos
Betinho que está no projeto há 3 anos

Em todo lugar tem um lixão. Em todo lugar tem uma lei que diz que eles são ilegais. Em todo lugar isso não importa. O projeto Filhos da Floresta se importa. A ação direta de Betinho, Matheus e David está elaborando um planejamento para por fim a um dos lixões de Assis, no interior de São Paulo. De quebra o grupo trabalha para preservar a floresta no entorno do problema.

Por livre iniciativa o coletivo criou uma área cercada no lixão e promoveu o plantio de novas árvores no espaço. Ali foram usados bambus coletados na proximidade e mudas próprias e fruto de parcerias. Dentro da mata o coletivo se estabeleceu com uma cabana. Da forma mais simples possível, com folhas e madeira reaproveitadas da própria floresta. Nestes dois espaços o grupo se reúne com grande frequência para organizar novas ações.

Siga o lixo e encontrará os responsáveis
Siga o lixo e encontrará os responsáveis

Com os resultados aparecendo o coletivo já pensa em se tornar uma ONG. Desta forma eles esperam facilitar a relação com o Estado e a iniciativa privada. Relação que já existe. O grupo sabe como se organizar, com quem falar e o que falar. A postura de sempre estarem abertos ao diálogo facilita. Ter um objetivo claro e transparência nas atividades também. Uma prova definitiva de que redes pequenas podem pescar grandes peixes.

Coletivos como o Filhos da Floresta podem se estabelecer em qualquer lugar para preservar florestas e por fim aos lixões.

A RUA GRITA

Volta Negra: a história do negro no Centro de São Paulo

Novo ciclo de caminhadas da Volta Negra começa neste sábado e tem atividades programadas para os próximos dois meses

A RUA GRITA

Últimos 3 dias para ajudar: Cora Primavera vai às ruas!

Criado pela Cia. Nada Pensativo, peça Cora Primavera aborda questões como transfobia e violência contra … Continuar lendo Últimos 3 dias para ajudar: Cora Primavera vai às ruas!