04 de agosto de 2014

Copa do Mundo e mulher: pesquisa indica visão feminina sobre o evento

A Copa do Mundo acabou. No entanto, o curto período de um mês do evento da Fifa deixou seu legado. Famílias desalojadas de suas casas e o Estado de exceção vivenciado no país, com forte repressão policial à manifestações e prisões completamente inconstitucionais, são apenas um exemplo do rastro deixado pelo maior campeonato futebolístico do planeta.

As atrocidades que acompanharam a Copa foram visíveis e constantemente denunciadas pela mídia independente, mesmo que ofuscadas pela oligarquia midiática brasileira. Por outro lado, questões relativas à violencia com mulheres e o machismo, intrínsico à sociedade e sobretudo no mundo do futebol, não tiveram tanta repercussao na cobertura.

O projeto Não Aguento Quando, nesse contexto, realizou uma pesquisa com 1387 entrevistadas, sendo 86% mulheres, 12% homens e 2% que se identificaram como outro. Desses, 64% tinham entre 18 e 24 anos, 17% entre 25 e 34 e 16% entre 13 e 17.

A pesquisa busca enfatizar o lado da mulher, mais especificamente a mulher brasileira, dentro de um evento em que os olhos das campanhas publicitariás e da cobertura midiática viram-se exclussivamente ao público masculino, tendo a mulher esteriotipada nas propagandas e jogada para segundo plano pela mídia.

Confira abaixo o infográfico com os levantamentos finais da pesquisa.

InfográficoPesquisa
A RUA GRITA

Volta Negra: a história do negro no Centro de São Paulo

Novo ciclo de caminhadas da Volta Negra começa neste sábado e tem atividades programadas para os próximos dois meses

A RUA GRITA

Últimos 3 dias para ajudar: Cora Primavera vai às ruas!

Criado pela Cia. Nada Pensativo, peça Cora Primavera aborda questões como transfobia e violência contra … Continuar lendo Últimos 3 dias para ajudar: Cora Primavera vai às ruas!