05 de setembro de 2014

Música, skate, amor e união: conheça o III Festival Reggae “Já Regou Suas Plantas?”


No último sábado (30/08) o CEU Butantã recebeu o III Festival Reggae promovido pelo programa “Já Regou Suas Plantas?”, parceiros da Rádio Cidadã FM, a comunitária do Butantã


Por João Miranda
Fotos: Greta Rodrigues

“É a agregação de um pessoal mais voltado para a música, a natureza, a compreensão, o amor.” Com sábias palavras de Jai Mahal, apresentador do programa “Já Regou Suas Plantas?” ao lado de Pedro Ribeiro é que começamos o dia. O sol conseguiu alegrar a alma de todos os presentes, trazendo também uma ótima iluminação para as fotos – que vocês acessam abaixo. Mas o que seria do tempo bom sem uma música de qualidade? Damos graça por este momento de união, e assim como disse Igor Jahcura, da banda Força da Paz: “sem palavras para descrever o avanço que é o reggae independente estar fazendo eventos como esse.”

As bandas convidadas a subir no palco, na ordem de apresentação, foram: Dayahman, Ethiopian Highlandahs, Força da Paz e Tribo do Sol, com vinil garantido pelo coletivo de sound system High Public Sound. Todos conseguiram animar o público, sem falar nos skatistas, que juntos formavam um mar de gente. E por falar em skate, não poderíamos deixar de comentar sobre a forte presença do Butanclan, um grupo que se reúne frequentemente para andar na pista do CEU Butantã e produzir material audiovisual. Conhecidos na quebrada, deixaram todos de queixo caído com a habilidade dos integrantes. Mas sem rixas, a humildade prevaleceu e muitos foram premiados com os kits do “Já Regou Suas Plantas?”, que contou com diversos CDs, adesivos, incensos e, obviamente, a Revista Vaidapé!

Foto: Greta Rodrigues
Foto: Greta Rodrigues

O mais interessante no Festival Reggae é ver a quantidade de pessoas diferentes, das mais diversas tribos e regiões. Raoni Fulone e Thiago Hatto, por exemplo, fazem parte do High Public Sound, são também organizadores de um dos maiores festivais de dub no Brasil, o “Reunion of Dub”, 100% independente, financiado coletivamente e que deve acontecer no dia 04 de outubro, ainda este ano. Guaraci Akani, integrante da banda Ras Mocambo, que também organiza festivais em São Paulo, disse que “através dessa música conseguimos difundir um pouco da cultura que a gente segue e acredita, que é a cultura rastafári, a cultura de um povo ancestral, africano, marginalizado e estereotipado.”

Eventos assim deixam claro as movimentações que rolam em São Paulo e que se difundem para todas as idades. Havia criança, bebê, jovens, adultos e alguns até com histórico de bisneto. Para Jah Lucas, integrante da Força da Paz, é muito importante ter pessoas de diversas classes sociais, pois assim “a mensagem pode chegar para todos.” Pedro Cavalcanti, baterista do Dayahman, disse que “ao mesmo tempo que é um entretenimento, não deixa de ser uma mensagem que é passada.”

 

A RUA GRITA

Volta Negra: a história do negro no Centro de São Paulo

Novo ciclo de caminhadas da Volta Negra começa neste sábado e tem atividades programadas para os próximos dois meses

A RUA GRITA

Últimos 3 dias para ajudar: Cora Primavera vai às ruas!

Criado pela Cia. Nada Pensativo, peça Cora Primavera aborda questões como transfobia e violência contra … Continuar lendo Últimos 3 dias para ajudar: Cora Primavera vai às ruas!