26 de novembro de 2014

Duelo Nacional de MC’s reúne rimadores, coletivos e grandes figuras do rap nacional

Por Marcos Vinicius

Criado em Belo Horizonte (MG) por apoiadores da cultura Hip-Hop e pelo coletivo Família de Rua, o Duelo de MC’s é um movimento que surgiu despretensioso, com o intuito de celebrar a cultura da periferia e colocar em evidência a poesia marginal, e conseguiu se solidificar no cenário do rap nacional. Em 2012, aconteceu o primeiro Duelo de Mc’s Nacional, reunindo oito mestres de cerimônia brasileiros que passavam por eliminatórias nos próprios estados.

O evento apoiado pela lei de incentivo à cultura de BH sagrou como campeão por dois anos seguidos o MC Din, velho conhecido da cena mineira como um monstro do Freestyle e do Sangue, com sucesso de público e visibilidade. No entanto, em 2014, por problemas de locação e reformas no Viaduto Santa Tereza (onde aconteciam os duelos), o financiamento foi cortado. Através de uma massiva campanha no Brasil inteiro via redes sociais – vídeos de apoio de diversos rimadores, poetas ritmados e consagrados rappers – e crowdfunding pelo Catarse, juntou-se a verba necessária para a edição desse ano.

A festa contou com participações e pocket shows de Emicida, Rappin Hood, Slim, entre outras atrações-surpresa.

O freestaleiro baiano Larício ganhou a final contra o representante de Minas Gerais, Capanga. Estiveram também na disputa: Daniel ADR (PA), Koell (SP), Leoni Telles (ES), Lodk (RJ), Nauí Movni (DF) e Salsi (PE). A festa ainda foi potencializada por apresentações de Bruno BO, Radical Tee, Douglas Din, Junin Bumbep e Sense.

As batalhas de 2014 gravadas de forma independente podem ser assistidas no canal youtubístico Mc Meleca, o Próprio. Lá encontra-se os duelos da edição 2014, o Freestyle do Campeão Larício e diversas realizações da Batalha do Museu (DF). Para encontrar outras cenas acontecendo ao redor do país, aí vai a recomendação de outros canais conhecidos – Indie BH, Família de Rua, Rinha dos Mcs, Batalha do Real Oficial e etc.

A RUA GRITA

Volta Negra: a história do negro no Centro de São Paulo

Novo ciclo de caminhadas da Volta Negra começa neste sábado e tem atividades programadas para os próximos dois meses