04 de março de 2015

‘Desculpe-me pelo machismo’: grife de Huck se retrata por mais um absurdo

Marca Use Huck diz que comercialização da camiseta infantil “Ven ni Min Que Eu Tô Facin” foi um erro

Por Patricia Iglecio

A marca Use Huck se retratou, em seu site, pela comercialização de camisetas infantis com o slogan “Ven ni Min Que eu Tô Facin”. O comunicado pede desculpas e diz “não ser possível justificar o injustificável”.

Feita para o carnaval, a venda da camiseta vai totalmente na contramão da proteção dos direitos da criança e do adolescente. A ideia de que “tudo pode”, principalmente nessa época de festas, só alimenta a violência contra minorias. Em um país em que os direitos das mulheres estão longe do razoável, ironizar e comercializar o absurdo para crianças, só contribui para a cultura do estupro.

A campanha vai na mesma direção da publicidade machista da Skol, que em fevereiro deste ano vendeu cervejas através do lema “Esqueci o não em casa”, depois foi obrigada a se retratar e soltou a publicidade “Quando um não quer, o outro vai dançar”.

Vale lembrar que a comercialização desse tipo de produto pode contrariar a resolução do Conanda (Conselho Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente), criada em abril de 2014, que considera abusiva toda a publicidade voltada para crianças e adolescentes.

A redação da Vaidapé tentou se comunicar com a marca mas até o fechamento desta nota não obteve respostas.

A RUA GRITA

Os direitos humanos frente à Cracolândia

Por: Isabel Rabelo  Problemas sociais e falta de políticas públicas abrem espaço para violações em … Continuar lendo Os direitos humanos frente à Cracolândia