08 de março de 2015

A gente cala em tantos momentos. Hoje é dia de calar o machismo

Foto UN Photo/Armineh


Por Patricia Iglecio

Vivi e presenciei situações em que o machismo, latente e agressivo, parecia ser impossível de se desconstruir.

Me entristeço com isso porque penso em todas as mulheres que enfrentam dificuldades muito maiores do que as minhas. Penso na violência brutal, física e pscicológica, que muitas delas sofrem e me sinto impotente; incapaz de fazer algo que possa mudar essa realidade.

Encaro o dia internacional da mulher como um momento para expressar indignação e frustração, para se manifestar. É claro que não é só hoje que devemos buscar a igualdade de gêneros. Isso deve estar presente no dia a dia de todos.

A gente cala em tantos momentos. Mas hoje é o dia de calar o machismo. Toda manifestação masculina contra a luta das mulheres por igualdade é opressora. Hoje, em especial, qualquer tentativa de negar a expressão feminina é machismo exarcebado.

Parabéns a todas as guerreiras!

“Que nada nos defina. Que nada nos sujeite. Que a liberdade seja a nossa própria substância.” – Simone de Beauvoir.

A RUA GRITA

Volta Negra: a história do negro no Centro de São Paulo

Novo ciclo de caminhadas da Volta Negra começa neste sábado e tem atividades programadas para os próximos dois meses

A RUA GRITA

Últimos 3 dias para ajudar: Cora Primavera vai às ruas!

Criado pela Cia. Nada Pensativo, peça Cora Primavera aborda questões como transfobia e violência contra … Continuar lendo Últimos 3 dias para ajudar: Cora Primavera vai às ruas!