15 de maio de 2015

Vida e abandono em prédio histórico de Belém do Pará

Da Redação

Bianca Vasconcellos é formada em jornalismo, trabalha como documentarista e fotógrafa. Foi à Belém gravar o episódio “Uma guerra sem heróis” da série Caminhos da Reportagem (TV Brasil), sobre as execuções de milícias policiais. Com uma câmera Fujifilm XE-2, registrou cenas urbanas da capital paraense.

Tombado desde 1977 pelo IPHAN, o Solar da Beira chama a atenção de quem chega no complexo do Mercado Ver-O-Peso. Arquitetura imponente do século XIX, era o antigo posto de fiscalização na baía do Guajará. Da janela é possível ver os mercados de peixe, carne, açaí e ferro.

O prédio se destaca com seus traços históricos. (Foto: Bianca Vasconcellos)

Ao entrar, a beleza do prédio contrasta com o abandono e uma surpresa: enquanto a claridade da manhã entrava pelas janelas do Solar vazio, um grupo de usuário de crack fazia uso da droga. J.S. chamou a fotógrafa para um retrato, que foi tirado de costas para proteger a identidade dele.

“Quando entrei e vi J. S. me pedindo para tirar um retrato, fiquei na dúvida se deveria explorar o fato, ele ali tão novinho, fumando crack à luz do dia… Decidi que sim. Turistas e autoridades deveriam saber que o prédio tombado pelo IPHAN é reduto de consumidores de crack, diante de qualquer um”, conta Bianca.

J.S. posa para a foto de Bianca Vasconcellos.
J.S. posa para a foto de Bianca Vasconcellos.

 

“Eu descarrego o peixe que chega de madrugada e de manhã venho dar minhas baforadas aqui”, diz o adolescente de 17 anos.

copy
A RUA GRITA

Volta Negra: a história do negro no Centro de São Paulo

Novo ciclo de caminhadas da Volta Negra começa neste sábado e tem atividades programadas para os próximos dois meses