02 de setembro de 2015

Aquário

NautNo aquário diminuto
nadei em teus olhos salgados
mais uma vez
até quase o afogamento.

Ansiando por ar
golpeamos o vidro
estalou, rachou, num ímpeto rompeu
em explosão reluzente.

“Olha como brilha, a nossa liberdade!”
Ficamos ali
Admirando a chuva afiada
Rasgar nossos corpos
Como navalhas.

Na manhã fria segui rumo a mim
Retirando um a um
O vidro incrustado.

 

Poema Nautila

Ilustra Nautila

 

A RUA GRITA

Como Dória pode legislar sobre o que é lindo?

Por: Gabriel Kerhart É possível legislar sobre o belo? Talvez um professor de estética consiga … Continuar lendo Como Dória pode legislar sobre o que é lindo?

A RUA GRITA

Em família: a resistência LGBT na periferia da zona sul

“Há momentos de tristeza, mas há momentos de alegria também. Ninguém é 100% uma coisa. … Continuar lendo Em família: a resistência LGBT na periferia da zona sul

A RUA GRITA

Como o hospital da USP ficou à beira do abandono

Faculdade que gerencia o hospital alega falta de recursos. Coletivos e população lutam para que … Continuar lendo Como o hospital da USP ficou à beira do abandono

A RUA GRITA

Ser gay aos 20 e poucos anos em São Paulo

“Eu acho que você fica apaixonado por muita gente. Você é apaixonado o tempo todo. … Continuar lendo Ser gay aos 20 e poucos anos em São Paulo