04 de setembro de 2015

Ayomide: Minha Alegria Chegou!

Por Camilla Di Lucca

11822621_918579071548216_3252440700276887176_n

A Ilustradora Linoca acaba de lançar uma campanha de financiamento na qual disponibiliza quase todo seu acervo para viabilizar seu novo projeto: Ayomide. Lançado na plataforma Catarse, o projeto pretende colher relatos de homens e mulheres a respeito da construção de suas identidades negras através do processo de transição capilar. Os depoimentos serão compilados em um documentário que será produzido com a arrecadação da verba.

Em Orubá, Ayomide significa “Minha Alegria Chegou”, e o projeto pretende ser justamente isso. Nas palavras de Linoca, “o objetivo é reunir um relato de pessoas sobre a felicidade delas no encontro com seus cabelos naturais e também com a descoberta de ser negro”, um chamado para pessoas que queiram compartilhar a alegria e a riqueza em se empoderarem de sua negritude, soltando junto com os cachos as amarras estéticas, morais e farmacêuticas cuidadosamente cultivadas e imopostas pela sociedade branca ao longo dos séculos.

“Acreditar que só assumir os cabelos naturais é a única coisa necessária para empoderar a mulher negra é esquecer que essa ainda está na busca pelo seu reconhecimento e valorização em outras áreas que vão além da estética. Apostar que somente o visual poderá resolver os problemas da mulher negra é não olhar as demais lutas travadas ao longo da história. Há aí um responsabilidade muito importante para as pessoas negras, a de se reconhecerem como tal, conhecerem sua história e seu passado histórico para a realização de um futuro de conquistas e mostrar que o cabelo natural não é só moda”, afirma a artista.

Para a elaboração do projeto, homens, mulheres e crianças vão contar como se sentem em relação aos seus cabelos naturais de forma positiva. Entre os entrevistados, três pessoas serão escolhidas através da Fan Page oficial do projeto. Você também pode participar enviando o seu relato pra a artista. Também serão realizados registros em tela, que irão compor exposições organizadas da periferia ao centro de São Paulo. Nessas, o documentário será exibido gratuitamente para o público.

“Apostar que somente o visual poderá resolver os problemas da mulher negra é não olhar as demais lutas travadas ao longo da história”

11751758_903607933045330_4688888876002128639_n11781780_912051825534274_8685641102699116558_n

A busca por maiores possibilidade aos corpos, pelo direito de amar e ser quem é, possuir um corpo orgulhoso. A produção de Linoca traz um olhar poético que faz com que temáticas densas tomem a forma de aquarelas sobre papel canson, finos traços em nanquim, telas acrílicas e encadernações finalizadas em serigrafia. O acervo disponibilizado reune mais de dez trabalhos ilustrados, todos resultantes de muita pesquisa e ralação.


QUANDO E ONDE?


As entrevistas com os selecionados e as gravações dos vídeos acontecerão simultaneamente em outubro. A realização das pinturas será em novembro e as exibições do vídeo junto as exposições acontecerão em dezembro e janeiro. Veja o vídeo da campanha abaixo.



A ARTISTA LINOCA

11267457_888906881182102_6903745707561314376_n

 

Estudou Design de Interiores na ETEC Getúlio Vargas, Comunicação Visual na ETEC Maria Augusta Saraiva e atualmente cursa Bacharel em Artes Visuais na Belas Artes

Produz diariamente e alimenta sua página do Facebook e também seu blog.

 

 


11222990_918576798215110_3456493988784511998_o

A RUA GRITA

Volta Negra: a história do negro no Centro de São Paulo

Novo ciclo de caminhadas da Volta Negra começa neste sábado e tem atividades programadas para os próximos dois meses

A RUA GRITA

Últimos 3 dias para ajudar: Cora Primavera vai às ruas!

Criado pela Cia. Nada Pensativo, peça Cora Primavera aborda questões como transfobia e violência contra … Continuar lendo Últimos 3 dias para ajudar: Cora Primavera vai às ruas!