10 de setembro de 2015

Paraíso de mim

Caco

Com o que sonha meu gato preto.
Dormindo, largado nesta linda tarde .
Ensolarado deixou a vigília de lado.
Nem sabe ser eu dono seu.
E eu preso a sonhos acordado.
De viagens distantes bem longe daqui.
E aqui ele vive e se aproveita inteiro.
Não quer ir a lugar algum, só curtir a siexta.
E quando me olha entre abertamente nos olhos.
Me vê reinando incansavelmente no verde e florido quintal.
Deve se sentir meu dono e até que é.
Sou preso a ele pela minha presunção de achar possuí-lo.
Já ele desconhece, apenas convive harmoniosamente.
Aprendo a sonhar o viver do momento.
E quando está bom e tudo calmo atrevo num relaxamento.
Deito-me na rede do ensinamento e descanso.
Ao olhar lindas borboletas azuis a voar rasante.
Sobre o negro gato que novamente dorme.
Vou caindo em sonolência e sonho o Paraíso.
Em que talvez por mera sugestão é igual a aqui.
Onde tudo e todos estão nos devidos lugares.
E na rede me rendo ao meu Gato relaxado e feliz.

Poesia e Ilustra Caco Artes

A RUA GRITA

Os direitos humanos frente à Cracolândia

Por: Isabel Rabelo  Problemas sociais e falta de políticas públicas abrem espaço para violações em … Continuar lendo Os direitos humanos frente à Cracolândia