20 de janeiro de 2016

Secundaristas assumem front em manifestações contra a tarifa


Da luta pela educação para luta pelo transporte público, estudantes secundaristas se engajam em ato contra tarifa 


Por Patricia Iglecio
Fotos: Igor Corá, Felipe Mello, Murilo Salazar, Henrique Santana e Thiago Gabriel

Captura de Tela 2016-01-20 às 17.18.07

“A minha mãe não queria que eu viesse no ato, ela ficou com medo, mas eu vim mesmo assim. Vou me encontrar com os outros estudantes secundaristas”, disse Alan, que estuda no Etec Parque da Juventude, durante a concentração do 4º ato contra o aumento da tarifa do transporte público em São Paulo. A manifestação foi convocada pelo Movimento Passe Livre (MPL), no cruzamento das avenidas Rebouças e Faria Lima, ontem (19).

Alan tem 15 anos e, em dezembro do ano passado, participou da ocupação do colégio em que estuda contra a reorganização das escolas estaduais, decretada pelo governador do estado, Geraldo Alckmim (PSDB), e revogada em dezembro após pressão dos estudantes.

“Se não fossem as ocupações, eu não teria vivenciado coisas que me trouxeram até aqui hoje. Sempre gostei muito dessas paradas, mas eu nunca tive coragem de vir, pelo medo da repressão também. Ocupando as escolas você aprende os seus direitos, conversando com policial, sabendo o que você tava fazendo. Minha coragem cresceu bastante lá dentro, minha vontade de transformar as coisas também. Eu faço parte do movimento secundarista e é da hora para caralho!”

Alan é um exemplo do engajamento dos secundaristas no ato do MPL, que tomaram a linha de frente na manifestação. Músicas, gritos de guerra e tambores dos alunos deram o tom do ato.

_MG_8515 _MG_8343

A manifestação se dividiu em dois blocos. Um caminhou em direção ao Palácio dos Bandeirantes, sede do governo do estado de São Paulo, o outro, em um grupo maior de manifestantes, seguiu até a prefeitura para pressionar o prefeito Fernando Haddad (PT). Segundo o MPL os dois grupos somaram um total de 7 mil pessoas. Movimentos sociais, partidos políticos e uma diversidade de pessoas estiveram presentes. Cinco pessoas foram detidas e, em seguida, liberadas.

19012016-IMG_3290

Simultaneamente aos protestos nas regiões centrais de São Paulo, o Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST) ocupou as ruas das periferias para protestar contra o aumento da tarifa. Um grupo de 5 mil pessoas, segundo o movimento, seguiu da estação Itaquera do metrô em direção a estação Patriarca, na zona leste de São Paulo. O outro, com 7 mil manifestantes, foi da estação Capão Redondo do metrô até a Ponte João Dias, na zona sul.

O próximo ato do Movimento Passe Livre está marcado para essa quinta-feira (21). A concentração será feita no Terminal Parque Dom Pedro II, na região central, às 17h. Para confirmar presença no evento, clique aqui.


CONFIRA MAIS FOTOS DO ÚLTIMO ATO:


20012016-IMG_3012 20012016-IMG_2936 melloMPL-1-4 19012016-IMG_3365 19012016-IMG_3298 19012016-IMG_3266 19012016-IMG_3306 _MG_8405 _MG_8325 _MG_8475 _MG_8537 20012016-IMG_3311 _MG_8556
A RUA GRITA

Como Dória pode legislar sobre o que é lindo?

Por: Gabriel Kerhart É possível legislar sobre o belo? Talvez um professor de estética consiga … Continuar lendo Como Dória pode legislar sobre o que é lindo?

A RUA GRITA

Em família: a resistência LGBT na periferia da zona sul

“Há momentos de tristeza, mas há momentos de alegria também. Ninguém é 100% uma coisa. … Continuar lendo Em família: a resistência LGBT na periferia da zona sul

A RUA GRITA

Como o hospital da USP ficou à beira do abandono

Faculdade que gerencia o hospital alega falta de recursos. Coletivos e população lutam para que … Continuar lendo Como o hospital da USP ficou à beira do abandono