15 de fevereiro de 2016

Podem vir com o exército, mas larvicida da Monsanto não entra aqui

Por Makely Ka, publicado originalmente no seu perfil do Facebook

Andei pesquisando sobre o zika vírus na rede. Na avalanche de informações cruzadas, encontrei alguns dados curiosos.

Uma empresa inglesa, chamada Oxitec, criou em laboratório um mosquito geneticamente modificado para competir com os machos naturais pelas fêmeas do aedes aegypti. Os óvulos desse acasalamento não vingariam porque dependem de uma substância que não é encontrada facilmente na natureza, a tetraciclina. Assim, o ciclo do mosquito seria interrompido.

Acontece que a tetraciclina é um antibiótico usado na indústria de alimento – inclusive nas sementes transgênicas da Monsanto – e nós ingerimos ela quando consumimos produtos com agrotóxicos. A prole desse mosquito geneticamente modificado portanto estaria se desenvolvendo graças à oferta de tetraciclina encontrada no ambiente – nossos corpos – e seria resistente aos pesticidas utilizados até então.

Em função disso, o Brasil passou a utilizar um larvicida chamado Piriproxifeno, fabricado pela Sumitomo Chemical, uma empresa do grupo Monsanto, principalmente no Nordeste e regiões com baixo índice de saneamento básico. Esse pesticida teoricamente inibe o desenvolvimento das larvas do aedes. Coincidentemente, é a região onde foram registrados a maior parte dos casos de microcefalia.

Hoje um funcionário do exército bateu na minha porta e disse que estão numa campanha para erradicar o mosquito. Disse que vai voltar para colocar larvicida na caixa d’água do prédio. Eu perguntei qual larvicida. Ele disse que é o que foi determinado pelo Ministério da Saúde.

Então eu pergunto: diante de um problema sério de biossegurança, não é uma forma do governo tirar a responsabilidade sobre si – já que foi ele quem autorizou a produção dos mosquitos e a utilização do pesticida – jogar a culpa sobre a causa da microcefalia no mosquito-bode expiatório e limpar a barra de empresas multinacionais que visam o lucro? Ou alguém acredita que a Oxitec e a Monsanto estão preocupadas com a saúde pública?

Podem vir com o exército, mas larvicida da Monsanto não entra aqui.

*Makely Ka é artista, já trabalhou na Vale do Rio Doce e denuncia os impactos ambientais de multinacionais

A RUA GRITA

Volta Negra: a história do negro no Centro de São Paulo

Novo ciclo de caminhadas da Volta Negra começa neste sábado e tem atividades programadas para os próximos dois meses

A RUA GRITA

Últimos 3 dias para ajudar: Cora Primavera vai às ruas!

Criado pela Cia. Nada Pensativo, peça Cora Primavera aborda questões como transfobia e violência contra … Continuar lendo Últimos 3 dias para ajudar: Cora Primavera vai às ruas!