21 de fevereiro de 2016

Dupla mente confusa

Flábia Siervo

O que sou?
Concreto, dinamismo e dor?
Uma dança assustada
Uma voz enraizada num nada
Uma perturbação, várias partes em combustão!
Uma receita de loucura, a tentativa da cura
Aonde a causa é a solidão e a sua casa, a cidade maltratada
Um enxame que aguça uma esquizofrenia coletiva
Meu duplo, sou eu e uma menina
Espantada e sozinha
Ela tenta ser livre
Porém, é minha
Minha sina
Meu duplo é perturbado e me fascina
Sou política pública, mas as vezes sou minha própria chacina
Minha sina

#Poema Erika Rosenfeld
#Ilustra Flávia Siervo

A RUA GRITA

Volta Negra: a história do negro no Centro de São Paulo

Novo ciclo de caminhadas da Volta Negra começa neste sábado e tem atividades programadas para os próximos dois meses

A RUA GRITA

Últimos 3 dias para ajudar: Cora Primavera vai às ruas!

Criado pela Cia. Nada Pensativo, peça Cora Primavera aborda questões como transfobia e violência contra … Continuar lendo Últimos 3 dias para ajudar: Cora Primavera vai às ruas!