21 de fevereiro de 2016

Dupla mente confusa

Flábia Siervo

O que sou?
Concreto, dinamismo e dor?
Uma dança assustada
Uma voz enraizada num nada
Uma perturbação, várias partes em combustão!
Uma receita de loucura, a tentativa da cura
Aonde a causa é a solidão e a sua casa, a cidade maltratada
Um enxame que aguça uma esquizofrenia coletiva
Meu duplo, sou eu e uma menina
Espantada e sozinha
Ela tenta ser livre
Porém, é minha
Minha sina
Meu duplo é perturbado e me fascina
Sou política pública, mas as vezes sou minha própria chacina
Minha sina

#Poema Erika Rosenfeld
#Ilustra Flávia Siervo

A RUA GRITA

Os direitos humanos frente à Cracolândia

Por: Isabel Rabelo  Problemas sociais e falta de políticas públicas abrem espaço para violações em … Continuar lendo Os direitos humanos frente à Cracolândia