28 de março de 2016

História verídica de uma ex-presidiária que virou letra de rap


Interpretada pelo grupo Influência Positiva, rap aborda de forma verídica a vida de uma família em penitenciária de SP; música tem participação de Yzalú


Por João Previ
Fotos: Divulgação

Um ciclo de vida que envolve abandono, drogas e prisão. O grupo de rap paulista, Influência Positiva, aborda esses temas na música 3 Gerações, lançada no dia 23 de março. Com a participação especial da cantora Yzalú, MC Netão, integrante do grupo, conta a história verídica de uma mulher negra encarcerada, junto com a filha que estava grávida, na penitenciária feminina de Santana, zona norte de São Paulo.

Ouça a música agora:

Netão destaca que essa história chamou sua atenção quando teve contato pela primeira vez com Dina Alves, advogada e militante do movimento negro, que conheceu em uma viagem que fizeram ao Mato Grosso do Sul, em 2014. Na ocasião, ambos participaram de atividades sobre o Dia da Consciência Negra.

“Dina e eu conversamos muito a respeito de sua pesquisa, que na época ainda estava em andamento. Quando voltamos para São Paulo, fiz uma matéria sobre o assunto para o jornal Brasil de Fato, onde trabalhei por três anos. Como a história dessa mulher me chamou bastante atenção, resolvi fazer a música e convidar a Yzalú para participar”, revela.

Netão, do Inlfuência Positiva
Netão, do Inlfuência Positiva

A música 3 Gerações compõe o EP Projeto B.A.S.E (Buscando Alternativa Saindo da Exclusão), do Influência Positiva. O novo álbum carrega oito músicas temáticas sobre os Direitos Humanos, que vão desde a realidade do sistema prisional brasileiro até a questão do genocídio na Palestina.

A data prevista para o lançamento do EP é no dia 12 de maio, quando se completam dez anos dos Crimes de Maio em São Paulo, período marcado pela violência policial que deixou mais de 500 pessoas assassinadas em apenas oito dias.

A RUA GRITA

Como Dória pode legislar sobre o que é lindo?

Por: Gabriel Kerhart É possível legislar sobre o belo? Talvez um professor de estética consiga … Continuar lendo Como Dória pode legislar sobre o que é lindo?

A RUA GRITA

Em família: a resistência LGBT na periferia da zona sul

“Há momentos de tristeza, mas há momentos de alegria também. Ninguém é 100% uma coisa. … Continuar lendo Em família: a resistência LGBT na periferia da zona sul

A RUA GRITA

Como o hospital da USP ficou à beira do abandono

Faculdade que gerencia o hospital alega falta de recursos. Coletivos e população lutam para que … Continuar lendo Como o hospital da USP ficou à beira do abandono

A RUA GRITA

Ser gay aos 20 e poucos anos em São Paulo

“Eu acho que você fica apaixonado por muita gente. Você é apaixonado o tempo todo. … Continuar lendo Ser gay aos 20 e poucos anos em São Paulo