30 de maio de 2016

Sobre mulheres e pássaros

Gabriel e Dani

Presa dentro de uma gaiola
que construíram para mim
quero voar para aqueles campos
mas as grades teimam em me lembrar
– a todo momento –
que estou aprisionada.

Olho através das grades
e o que vejo é inacreditável
somos várias pássaras engaioladas.

Nosso dono chega
e rapta a mais amarela dentre todas nós
uma me cochicha
– Ele é obcecado por essa penugem.
“Graças a deus não tenho amarelo no corpo”.

Nosso dono chega
e rapta a maior dentre todas nós
a do lado me cochicha
– Ele é obcecado pelas mais cheinhas.
“Graças a deus sou a mais pequena do grupo”.

Nosso dono chega,
e caminha a passos calculados
observando uma a uma, com olhos gulosos
para em frente a minha gaiola
por um momento sinto o prazer da liberdade…
mas, não, eu também sou levada
E, afinal, eu nem sei por quê?

– Por quê? Por que eu?
Perguntei desesperada ao algoz
– Porque eu tenho o poder
eu quem mando aqui
e você não passa de
mais uma mulher que nasceu para me servir!

E então, ele cortou minhas asas,
a liberdade,
bem como ele quis.

D.

Poema por Danielle Almeida de Carvalho

Ilustra por Gabriel Roemer

A RUA GRITA

Como Dória pode legislar sobre o que é lindo?

Por: Gabriel Kerhart É possível legislar sobre o belo? Talvez um professor de estética consiga … Continuar lendo Como Dória pode legislar sobre o que é lindo?

A RUA GRITA

Em família: a resistência LGBT na periferia da zona sul

“Há momentos de tristeza, mas há momentos de alegria também. Ninguém é 100% uma coisa. … Continuar lendo Em família: a resistência LGBT na periferia da zona sul

A RUA GRITA

Como o hospital da USP ficou à beira do abandono

Faculdade que gerencia o hospital alega falta de recursos. Coletivos e população lutam para que … Continuar lendo Como o hospital da USP ficou à beira do abandono

A RUA GRITA

Ser gay aos 20 e poucos anos em São Paulo

“Eu acho que você fica apaixonado por muita gente. Você é apaixonado o tempo todo. … Continuar lendo Ser gay aos 20 e poucos anos em São Paulo