26 de outubro de 2016

Alckmin faz de tudo para evitar nova onda de ocupações nas escolas

Já são mais de 1000 escolas e 82 universidades ocupadas no país contra a PEC 241 e a MP que reforma o Ensino Médio. Em São Paulo, o governo Alckmin sufoca qualquer tentativa de ocupação, com o bloqueio para entrada de alimentos e apoiadores nas unidades ocupadas e a autorização da entrada da PM para retirar os alunos em menos de 24 horas sem a necessidade de mandado judicial


Por Alicia Esteves
Fotos: Alicia Esteves

Na noite do dia 24 de outubro recebi a notícia de que a E.E. Silvio Xavier Antunes havia sido ocupada. No ano passado, a escola localizada no bairro do Piqueri, zona norte da cidade, foi ocupada contra a reorganização escolar, que previa o fechamento de mais de 90 escolas estaduais, entre elas, o próprio Silvio Xavier.

Este ano a pauta mudou. A principal reivindicação é a mobilização contra a PEC 241, que prevê o congelamento dos gastos públicos nos setores básicos pelos próximos 20 anos, o que inclui investimentos na educação pública. Além da pauta nacional, os alunos também apresentam reivindicações internas da escola como, por exemplo, a conclusão da obra de um elevador para deficientes que está paralisada.

Cheguei na ocupação por volta das 15h do dia seguinte (25). Os estudantes se mobilizavam para conseguir doações de alimentos e cobertores. Enquanto isso, um grupo formado pela gestão da escola e representantes da Diretoria de Ensino tentavam impedir que alguns estudantes se aproximassem para apoiar a ocupação. Lá dentro, o ambiente era calmo e alguns alunos pintavam faixas informativas para pendurar na frente da escola.

4

Por volta das 17h a polícia fechou a rua da E.E Silvio Xavier, e uma base móvel da Polícia Militar estacionou na frente do portão principal. Foi tudo muito rápido. Os policiais anunciaram que a Justiça havia autorizado a reintegração de posse e quebraram o cadeado. Eles entraram armados e aos gritos, acompanhados da gestão escolar.

Em seguida, os policiais encostaram na parede as 22 pessoas que estavam presentes, 8 maiores e 14 menores de idade. Revistaram as mochilas e, durante a revista, confiscaram o celular de um garoto que estava gravando a operação e apagaram as imagens. Recebemos a informação de que seríamos encaminhados para a 87o DP, e nos amontoaram dentro da base móvel da PM. Uns em pé, outros sentados porque não havia lugar para todos. Na delegacia, todos foram ouvidos na presença de um advogado e liberados cerca de 3 horas depois. Não foi registrado nenhum B.O.

3

LUTA SECUNDARISTA

Segundo as últimas informações divulgadas pela UBES (União Brasileira dos Estudantes Secundaristas), já são 1.108 unidades de ensino ocupadas em todo o país contra a Medida Provisória que propõe a reforma do Ensino Médio e a PEC 241, que foi aprovada ontem (25) em segundo turno pela Câmara dos Deputados, e agora segue para aprovação no Senado. Os dados apresentados pelo movimento dão conta de que 1022 escolas e institutos federais, 82 universidades e 3 Núcleos Regionais de Educação, além da Câmara Municipal de Guarulhos, estão ocupados em 20 estados e no Distrito Federal.

2

Apenas no Paraná, estado com o maior número de ocupações, já são mais de 800 unidades tomadas na luta pela educação pública. Em São Paulo, além da E.E. Silvio Xavier Antunes, a E.E. Edina Alves Barbosa, em Itaquaquecetuba também havia sido ocupada e sofreu reintegração de posse de forma similar à unidade da zona norte. Além destas, a reitoria do Instituo Federal de São Paulo e a Câmara Municipal de Guarulhos, na Grande SP, seguem ocupadas.

O Governo Federal tem ameaçado as mobilizações afirmando que irá suspender o ENEM (Exame Nacional do Ensino Médio) para as unidades ocupadas. O MEC (Ministério da Educação) também pediu aos dirigentes de Institutos Federais que forneçam os nomes dos estudantes que ocupam as instituições. A preocupação de muitos alunos é de que o governo esteja preparando uma perseguição contra os estudantes em luta.

A RUA GRITA

Como Dória pode legislar sobre o que é lindo?

Por: Gabriel Kerhart É possível legislar sobre o belo? Talvez um professor de estética consiga … Continuar lendo Como Dória pode legislar sobre o que é lindo?

A RUA GRITA

Em família: a resistência LGBT na periferia da zona sul

“Há momentos de tristeza, mas há momentos de alegria também. Ninguém é 100% uma coisa. … Continuar lendo Em família: a resistência LGBT na periferia da zona sul

A RUA GRITA

Como o hospital da USP ficou à beira do abandono

Faculdade que gerencia o hospital alega falta de recursos. Coletivos e população lutam para que … Continuar lendo Como o hospital da USP ficou à beira do abandono

A RUA GRITA

Ser gay aos 20 e poucos anos em São Paulo

“Eu acho que você fica apaixonado por muita gente. Você é apaixonado o tempo todo. … Continuar lendo Ser gay aos 20 e poucos anos em São Paulo