11 de janeiro de 2017

Dória dobra número de vias proibidas para blocos de Carnaval em Pinheiros

Faltando apenas cinco semanas para o início do Carnaval de rua, restrições impactam diretamente blocos que já haviam iniciado levantamento de recursos, mobilização e divulgação

Por Paulo Motoryn
Foto: Mídia NINJA

O número de blocos de Carnaval de rua de São Paulo (SP) só cresce. Em 2016, a festa nas ruas reuniu mais de 1 milhão de pessoas e já deu mais lucro que o sambódromo. Para 2017, 495 blocos se inscreveram para desfilar.

As inscrições para o Carnaval foram realizadas ainda durante a gestão do prefeito Fernando Haddad (PT), no ano passado, pela Secretaria Municipal de Cultura.

No entanto, ainda no fim do ano passado, após o resultados das eleições, as alterações anunciadas pelo prefeito eleito João Doria para a Virada Cultural de 2017 acenderam uma dúvida nos entusiastas do Carnaval de rua em São Paulo.

Em dezembro de 2016, uma reportagem do portal Terra trouxe declarações de integrantes dos blocos Agora Vai, Jegue Elétrico e Não Serve Mestre temendo mudanças na política do Carnaval.

“Não estou otimista em relação ao governo Dória, que parece estar comprando uma briga com as festas de rua. São essas manifestações que tornam São Paulo uma cidade mais humana”, afirmou, à época, Emerson Boy, presidente do bloco Jegue Elétrico, fundado em 2000.

No período pós-eleitoral, já com a vitória de Dória garantida, antes mesmo da posse da nova gestão, uma reunião da Prefeitura Regional de Pinheiros (antiga Sub-Prefeitura) com os blocos teve a presença integrantes da equipe de Haddad e do tucano. O encontro aconteceu no dia 14 de dezembro.

Na ocasião, segundo relatos, Paulo Mathias, novo prefeito regional nomeado por Dória, disse que “a nova gestão ia fazer de São Paulo o maior Carnaval do país”. Mas não demorou para que o discurso caísse por terra.

Faltando cerca de cinco semanas para o início oficial do Carnaval, no primeiro encontro da Prefeitura Regional de Pinheiros após a posse da nova gestão, uma surpresa: o número de vias em que a festa será proibida dobrou no distrito, conforme comprovam a fotos obtida pela Vaidapé.

WhatsApp Image 2017-01-11 at 19.11.15
Na coluna direita do slide, vias proibidas em 2016. Na esquerda, as que também serão restritas em 2017. (Foto: Gabriel Guerra)

A informação foi anunciada na reunião desta quarta-feira (11 de janeiro), em conjunto pela Prefeitura Regional de Pinheiros e a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET). A proibição da realização dos blocos nas vias será publicada em Portaria no Diário Oficial do Município.

As alterações impactam diretamente blocos que já haviam iniciado levantamento de recursos, mobilização e divulgação. É o caso do estreante Bloco Pelad@s na Santos, uma homenagem carnavalesca aos Mamonas Asssassinas, que aconteceria na Alameda Santos, do domingo pré-Carnaval (19 de fevereiro).

“Nosso bloco surge da proposta da ocupação de uma rua em específico. Nosso trajeto havia sido liberado na reunião de dezembro e não é justo sermos avisados que a rua não será mais permitida tão pouco tempo antes da realização da festa”, explica Gabriel Guerra, um dos organizadores do Pelad@s na Santos.

As reuniões das outras Prefeituras Regionais com blocos estão acontecendo ao longo da semana e a tendência é que a CET também aumente o número de vias restritas em outras regiões. O anúncio oficial ainda não foi realizado pela Secretaria de Comunicação da Prefeitura de São Paulo.