14 de março de 2017

Rap Plus Size: Issa Paz e Sara Donato batem um papo com estudantes do PerCurso

Por Redação
Fotos: Vinícius Stefani Cruz, Isaac Santos e Vitória Lucena

Na última semana o PerCurso Mídia e Território, curso promovido pela Vaidapé para estudantes secundaristas da rede pública de São Paulo, recebeu as integrantes do Rap PluSize, Issa Paz e Sara Donato, para uma entrevista coletiva com os alunos.

Elas contaram sobre a história do dueto que formaram, suas trajetórias no hip hop e refletiram sobre o que pensam do rap. Além disso, a inserção feminina no gênero musical foi amplamente debatida, levantando conceitos como feminismo, padrões estéticos e comportamentais impostos pelo machismo e as dificuldades que encontraram para produção do rap feminino.

Para elas, o sucesso na produção de CDs, shows e batalhas vem de encontro com a união das mulheres nesse espaço, que além de reivindicarem participação em grandes eventos, passaram a criar encontros só de mulheres.

Com relação ao entendimento do machismo na música, Sara diz que o rap reflete a estrutura machista e patriarcal da sociedade como um todo. Issa provoca que se o rap, essencialmente, vem para combater todas as estruturas opressoras sociais, isso não deve ser aceito e, nesse sentido, é preciso lutar para que se combata o machismo na cultura hip hop.

Ao final do papo coletivo, uma das alunas perguntou à dupla onde se espera chegar com o Rap PluSize. “Eu espero chegar no meu lugar. Que eu sei que ele existe, está lá porque ele é só meu. E a gente está chegando lá, a gente encontra ele em eventos, shows e conversamos que fazemos”, conclui.

Entenda mais sobre o PerCurso no site do projeto.

Veja mais fotos da entrevista feitas pelos alunos do curso:

A RUA GRITA

Como Dória pode legislar sobre o que é lindo?

Por: Gabriel Kerhart É possível legislar sobre o belo? Talvez um professor de estética consiga … Continuar lendo Como Dória pode legislar sobre o que é lindo?

A RUA GRITA

Em família: a resistência LGBT na periferia da zona sul

“Há momentos de tristeza, mas há momentos de alegria também. Ninguém é 100% uma coisa. … Continuar lendo Em família: a resistência LGBT na periferia da zona sul

A RUA GRITA

Como o hospital da USP ficou à beira do abandono

Faculdade que gerencia o hospital alega falta de recursos. Coletivos e população lutam para que … Continuar lendo Como o hospital da USP ficou à beira do abandono

A RUA GRITA

Ser gay aos 20 e poucos anos em São Paulo

“Eu acho que você fica apaixonado por muita gente. Você é apaixonado o tempo todo. … Continuar lendo Ser gay aos 20 e poucos anos em São Paulo