05 de junho de 2017

Conversamos com os cabeças da lendária grife de pixação Os Mais Imundos

Em mais uma entrevista da série “Pixo com X”, conversamos com as lideranças de uma das grifes mais importante da história da pixação. Conheça Os Mais Imundos


Por Iuri Salles e Henrique Santana
Fotos: Reprodução


Os Mais Imundos comemoram sua terceira década de existência ano que vem. Nestes 30 anos, a grife de pixação se consagrou como uma das maiores de São Paulo, em uma trajetória costurada por muitos pixos e tretas. O conflito mais famoso atravessa o período lendário de brigas com os RGS – Registrados do Código Penal.

Hoje em dia as tretas se apaziguaram, mas ainda sobram tensões entre os integrantes das duas grifes. Nesta nova entrevista da série “Pixo com X”, a Vaidapé troca uma ideia com as atuais lideranças dos Mais Imundos, EXORCITY, TRAMAS e o CAPETAS*R, que narram suas vivências e a história da grife nas ruas sem lei da São Paulo dos anos 1990.

Os pixadores ainda contaram detalhes da briga entre as grifes de pixação, que duraram mais de dez anos, e como era viver de perto toda essa tensão, “Naquele tempo sair na mão era normal. A nossa idade tava naquela explosão. Antigamente era chamar seus amigos e sair na mão na estação, hoje é tudo diferente”, relembram, os pixadores.

A grife também explicou o processo e as exigências para se entrar no grupo, que vão além do volume de pixações e das habilidades individuais. Nos Mais Imundos, é preciso seguir uma “linha de conduta”, como dizem as lideranças. “Correndo pelo certo vai ser bem vindo. Agora, se o cara dá um milho na quebrada dele, rateou alguma coisa, ou tá roubando pedestre, ai não dá.”

Leia a entrevista completa


Como foi o nascimento dos Mais Imundos?

Nasce em Guaianases, Cidade Tiradentes, em 1988. Em 2018 vão fazer 30 anos. Os pixos fundadores da grife foram o CORVOS e RATITOS. Era meio que um negócio de gangue, bem regional mesmo. Foi um encontro de turmas, primeiro veio o nome Mais Imundos, que era uma espécie de nome que eles deram pra turma, depois que virou pixação.

A grife começo com quantas pessoas?

Quatro, eram dois no CORVOS e mais dois no RATITOS.

Vocês tem ideia de quantas pessoas compõem a grife hoje?

Pelo menos uns 160, 170 pixos, levando em conta que cada pixo tem três ou quatro caras. Mas se for contar todos que já passaram dá uns 250 ou mais.

Isso tudo só em São Paulo?

Não, principalmente… Na época da treta expandiu bastante, aí foi pro litoral, interior…

E fora de São Paulo?

Tem também. Rio de Janeiro, Paraná, Paraíba, Mato Grosso, Brasília e interior de São Paulo é geral.

Como funciona a organização da grife? Existe um grupo “responsável”?

Somos nóis, os mais antigos. E cada região tem uma pessoa que tá meio na responsa de passar as situações que estão acontecendo. Mesmo que ele não seja o cabeça, tá ali somando, vestindo a camisa, e a partir desse momento ele também é responsável. Mas todo mundo tem voz.

“Se o cara dá um milho na quebrada dele, rateou alguma coisa, ou tá roubando pedestre, esse cara vai ser excluído”

Como se torna um membro dos Mais Imundos?

Hoje a gente dá um período de três meses de experiência. Se agradar a grife a gente coloca o nome na lista, se não agradar é convidado a se retirar. Por essa pressão o cara que entra já sabe que vai ter que representar. Se for um cara modinha, que tá fazendo de embalo a gente vai ver que ele vai tremer nessa primeira fase. E mais que isso, vai do seu dia a dia. Se você é um cara daora, se você é um cara certo. Se ramelar vai ser espirrado.

O que leva um membro a ser expulso?

Várias fitas, por exemplo, se o cara dá um milho na quebrada dele, tipo rateou alguma coisa ou tá roubando pedestre, esse cara vai ser excluído. Porque queima nóis, queima o nome da grife.

Mas isso na quebrada, se roubar em bairro de boy tem algum problema?

Não, tem cara que rouba, normal, é a vida dele. Mas o cara tem que ser ladrão. Agora, ficar roubando trabalhador, pedestre com a marmita embaixo do braço, atrasando a quebrada, esses cara num dá. É difícil você respeitar um cara que toma a bolsa de uma mulher voltando do trampo. É uma linha de conduta né, correndo pelo certo vai ser bem vindo.

Os Mais Imundos são a maior grife de pixação de SP?

Em número de pixo acredito que sim. É difícil você passar por uma avenida que não tenha a cruz dos Mais Imundos. Toda quebrada tem pelo menos uma sementinha nossa.

Alguém dos Mais Imundos foi morto durante a treta com os RGS?

O Preto, que é um dos mais famosos, pixava AKDS. Ele foi assassinado bem no período da treta, a morte dele foi bastante falada na época. E é triste porque era um cara que gostava mesmo de pixar, que era pra tá igual nóis hoje, na liderança. E infelizmente ficou no meio do caminho.

E ele foi assassinado por causa da briga entre as grifes?

Se fala muita coisa, tem muita história, mas dar nomes aos bois é foda. Ninguém sabe mesmo o que aconteceu na real.

E o que vocês acham?

Uns falam que foi por causa de mulher, outros falam que foi por causa de pixação. Só quem tava sabe. Ele tava com outro mano que também tomou tiro mas esse cara nunca falou nada, ele sumiu. 

O Telo [membro dos RGS] foi uma pessoa importante do pixo que também acabou assassinada durante as tretas, vocês acreditam que isso prejudicou o movimento como um todo?

Mano, ninguém gosta de ver pixador morrer, eu pelo menos não desejo a morte de ninguém. Eu não gosto dos caras, mas não desejo a morte de ninguém.

Porque vocês acham que a treta acabou? Pela nova forma de conduta imposta pelo crime organizado dentro das periferias ou por vontade dos dois lados?

“Mano, ninguém gosta de ver pichador morrer. Eu não gosto dos caras, mas não desejo a morte de ninguém”

Claro que tem influência [do crime organizado], porque faz parte da sociedade. A partir dessas tretas todas e por causa dos finados, todas essas ideias foram levadas pro resumo e se chegou ao consenso que se você quer atropelar você tem que fazer o seu pixo em cima, não pode mais se esconder atrás da grife. Se você foi pá de ir lá atropelar o pixo do mano, vai ter que ir lá e por o seu o pixo, não a grife.  E esse foi ponto que deu um breque em tudo porque muitos se escondiam na grife. Antigamente o cara ia lá, metia o rolo e ninguém sabia quem foi.

E todo mundo tá mais velho também agora, filho pra criar, cabelo branco. Imagina você tá com o seu filho moscando numa praça, desce três quatro cara e te espanca na frente do seu filho. E naquele tempo sair na mão era normal, a nossa idade tava naquela explosão. Antigamente era chamar seus amigos e sair na mão na estação, hoje é tudo diferente e as coisas poderiam tomar uma proporção muito maior. Em cima disso, a gente acha melhor ficar com está.

O mundo é uma evolução, então você tem que evoluir conforme o tempo. Muitos malandros se atrasam nessas de querer ser mais, de querer mostrar ego, de querer ser o pá, mas só pela ideia vê que é vacilão. Porque você vai querer o mal do seu próximo? É o seu convívio, você vai ter de conviver e é aquilo: com o mesmo que fere será ferido.

Até hoje ainda rola atropelo de pixo?

Recentemente aconteceu. Um moleque dos Mais Imundos saiu pra pixar com os caras do RGS e aí o mano foi e fez um Mais Imundos. Os caras do RGS não gostaram e atropelaram ele.

A gente foi pras ideias e o que a gente queria é que espirrassem os caras que fizeram isso. Eles não quiseram e o que ficou acertado é que eles iam ter que reforçar o nosso pixo.

E rolava das grifes marcarem lugar pra tretar?

Não, era aleatório mesmo. O que acontecia era a gente sair pra pegar pixador em outras quebradas, isso acontecia. Mas marcar não, isso é mais fita de torcida organizada.

Se vocês passassem e tivesse alguém pixando RGS?

Aí era lamentável. Não tinha nem conversa, já saia tretando, não tinha ideia.

Pra vocês a treta faz parte do passado?

A gente superou isso. Mas sempre vamos lembrar do que a gente viveu. Eu por exemplo não faço pixo com os caras do RGS, não tem como, é impossível pra mim, mas nada contra quem faz. Tanto é que quando a gente faz as festas dos Mais Imundos cola moleque do RGS também, isso ficou mais pros caras mais velhos mesmo.

Qual o legado desses 30 anos de Mais Imundos?

O legado é que nunca vai acabar. O legado é eterno. Enquanto tiver pixação os Mais Imundos vão existir.

Qual a pixação mais emblemática da grife?

Uma que ficou muito marcada foi a maior pixação do mundo.

Como assim a maior pixação do mundo?

É um prédio inteiro. Esse pixo foi feito por cinco pessoas, uma união de turmas dentro da grife. Gente da norte, sul, leste, oeste. Dentro da pixação não teve pixo maior que esse.

E como vocês conseguiram pixar um prédio inteiro? Estava vazio?

Tinha alguns andares alugados. Na verdade era um estacionamento e o estacionamento estava fechado, mas ainda tinha alguns estabelecimentos na ativa.

Foi uma invasão. A gente olhou o prédio da rua e contou as janelas pra saber se ia dar pra fazer a cruz. Entramos pelo estacionamento e fomos subindo, arrombando tudo no pé, na chave de fenda. Aí pixamos o prédio de dentro pra fora. E de um prédio a gente foi pra outro prédio

Como você fizeram pra ir de um prédio para o outro?

Aí você vai ter que fazer um curso de pixador pra saber como é…

E como foi pra sair do prédio?

A saída foi mil grau. Já tava infestado de polícia porque a gente terminou era 7h da manhã. Ficamos mais de oito horas fazendo o pixo… Quando a gente saiu teve que aplicar a fuga monstra, cada um deu o seu pinote. Teve até mano que meteu a fuga e depois voltou com cobertor de mendigo pra saber se tava tudo bem, se ninguém tinha sido preso

“Eu não quero isso pro meu filho, porque eu sei como é. Mas se ele quiser não tem como, meu pai também não queria, mas eu fui viver minha vida e ele vai viver dele”

E quando foi isso? Apagaram rápido?

Foi em 2009, ficou uns três anos ainda.

O que você acham desses pixos com o intuito mais politizado, como os ataques em galerias e na bienal?

Toda pixação que é uma transgressão é valida no movimento. Cada um defende o que acredita, se eles acreditam naquilo eles fizeram o papel deles e já era.

Como seria pra vocês se o filho de vocês também curtisse pixação?

Eu não quero isso pra ele, porque eu sei como é. Mas se ele quiser não tem como, meu pai também não queria, mas eu fui viver minha vida e ele vai viver dele.

E o que os Mais Imundos representa para vocês?

É o que eu acredito, é o que eu defendo, o que eu compartilho. É a minha vida. É o time de vilão tá ligado.

A RUA GRITA

‘É quando som de preto toca que incendeia o baile’

Cantada pelo músico capixaba Fabriccio, a frase acima integra o single “Teu Pretim”, do disco … Continuar lendo ‘É quando som de preto toca que incendeia o baile’