15 de setembro de 2017

Projeto fotográfico retrata pretas e pretos de uma das universidades mais brancas do país


Idealizado por uma estudante de Letras, o “Pretos da USP” gera identificação e denuncia problemas estruturais da faculdade


Ensaio por: Isabela Alves

Criado por Isabela Alves, fotógrafa e estudante de Letras de 18 anos, o projeto “Pretos da USP” é um movimento pessoal, que tem como objetivo fotografar a cultura, o olhar e a resistência negra dentro do que a artista diz ser a “universidade mais racista do país”.

Para Isabela, a necessidade urgente de documentar os rostos e expressões dos negros dentro da USP surge de uma necessidade de identificação: “é um ambiente de pessoas brancas, então você pode ficar na Universidade o dia inteiro e não ver uma pessoa parecida com você, que entenda você”, explica.

Outro ponto muito discutido pela comunidade negra da USP, segundo Isabela, é a permanência dos negros dentro da Universidade, ou seja: as condições de transporte, moradia, bolsa de estudos e auxílio ao estudante estão “caindo aos pedaços”, segundo a própria estudante.

O projeto, então, é um modo de trazer a discussão sobre as necessidades e dificuldades dos alunos negros da USP: “a maioria dos que precisam de apoio são as pretas e pretos de periferia, os que conseguiram ingressar na faculdade. Além disso tudo, as matérias estudadas são europeias, embranquecidas”, explica, salientando que as fotos ajudam a tornar esses problemas visíveis.

Além de tudo, é mostrar que os negros da USP estão em luta permanente: “nós existimos em todo o espaço que nos é negado, no espaço que está cada vez mais destruído e vamos continuar aqui!”.


Confira o ensaio completo:


A RUA GRITA

Como Dória pode legislar sobre o que é lindo?

Por: Gabriel Kerhart É possível legislar sobre o belo? Talvez um professor de estética consiga … Continuar lendo Como Dória pode legislar sobre o que é lindo?

A RUA GRITA

Em família: a resistência LGBT na periferia da zona sul

“Há momentos de tristeza, mas há momentos de alegria também. Ninguém é 100% uma coisa. … Continuar lendo Em família: a resistência LGBT na periferia da zona sul

A RUA GRITA

Como o hospital da USP ficou à beira do abandono

Faculdade que gerencia o hospital alega falta de recursos. Coletivos e população lutam para que … Continuar lendo Como o hospital da USP ficou à beira do abandono

A RUA GRITA

Ser gay aos 20 e poucos anos em São Paulo

“Eu acho que você fica apaixonado por muita gente. Você é apaixonado o tempo todo. … Continuar lendo Ser gay aos 20 e poucos anos em São Paulo