20 de setembro de 2017

Repensando a cidade através da mobilidade urbana


Confira a programação que se propõe a discutir a mobilidade urbana e a qualidade de vida na cidade de São Paulo.


Por: Júlia Mente
Fotos: Barbara Veiga / Greenpeace | Reprodução / Rede Nossa São Paulo

Durante essa semana, diversas atividades estarão acontecendo ao redor da Cidade de São Paulo. São diversos eventos itinerantes e fixos como vagas-vivas, workshops, exibições de documentários e debates, que buscam educar e sensibilizar as pessoas sobre um tema tão importante.

Participam desta programação atividades de organizações não-governamentais, de empresas, especialistas e até mesmo eventos organizados pela Prefeitura. A Virada da Mobilidade, que já está na sua 5a edição, foi um evento que surgiu da necessidade de se repensar e se promover alternativas de locomoção mais sustentáveis e inteligentes nas grandes concentrações urbanas. 

Acompanhe a programação:

#Segunda-Feira: 18/09

A semana iniciou com um protesto pacífico do Greenpeace. O ato simbólico levou até a porta da Câmara dos Vereadores de São Paulo as 11 vítimas diárias do ônibus a diesel – a média de pessoas que morrem precocemente por doenças geradas ou agravadas pela poluição do ar.

Greenpeace abre a Semana de Mobilidade com protesto por ônibus não poluentes em São Paulo

 

O protesto tinha como alvo o prefeito João Doria e o presidente da Câmara, Milton Leite, autor do PL da Poluição, um projeto que estende em 20 anos o prazo de transição dos ônibus para combustíveis 100% renováveis.  A Lei de Mudanças Climáticas em São Paulo (14.933/2009) já determinada que essa transição fosse feita por completo até o ano de 2018. Foram anos sem que as empresas de transporte ou as diferentes gestões da cidade tomassem qualquer providência, e em setembro de 2016 o Tribunal de Contas dos Municípios suspendeu o edital da licitação.

A nova licitação de ônibus está apenas esperando a aprovação do PL da Poluição, que deve substituir o artigo 50 da atual lei. É um grande retrocesso nas políticas ambientais: o projeto não só estende um prazo que já está atrasado, mas também não garante a emissão zero de CO2 e material particulado. A transição para combustíveis limpos não será mais completa e não há qualquer sanção prevista às empresas que descumprirem a lei.

Greenpeace abre a Semana de Mobilidade com protesto por ônibus não poluentes em São Paulo.

Um dos argumentos centrais é de a transição para combustíveis 100% renováveis salvaria milhares de vidas. A poluição do ar na maior metrópole do país será responsável por mais de 178 mil mortes até 2050, o que acarretaria em um custo de quase R$ 54 bilhões. O transporte público é hoje, um dos grandes contribuintes deste problema. Apesar de representarem menos de 4% da frota de veículos que rodam em São Paulo, os ônibus são responsáveis por quase metade (47%) das emissões de fuligem (material particulado) no ar. O Dôssie Ônibus Limpo do Greenpeace mostra que a transição para ônibus de combustíveis não-poluentes poderia ser feita em poucos anos e sem o aumento da tarifa. 

Frente a este retrocesso, uma campanha organizada pela Cidade dos Sonhos, Greenpeace, IDEC, Instituto Saúde e Sustentabilidade, Minha Sampa e Rede Nossa São Paulo faz pressão nos vereadores para impedir o avanço deste projeto de lei. Mais de seis mil pessoas já se juntaram a essa causa. 

#Terça-Feira | 19/09

Essa terça-feira (19/09) também contou com a Audiência Pública “Transporte como Direito Social” – transmitida ao vivo – e com o lançamento do Projeto MobCidades – Mobilidade, Orçamento e Direitos em diversas cidades brasileiras. O projeto com vigência até o final de 2019 é promovido pelo Instituto de Estudos Socieconômicos (Inesc) em parceria com 10 organizações da sociedade civil, e visa fortalecer e fomentar a participação popular na gestão da mobilidade urbana, com foco na garantia do direito à cidade e ao transporte.

#Quarta-Feira | 20/09

De 19 a 21 de Setembro, o Pateo do Collegio no Centro de São Paulo recebe a exposição “Possível para Todos”, das 9h às 17h. A mostra irá exibir alguns números sobre acessibilidade do transporte coletivo. Outro interessante programa da Prefeitura é o “Andar de Ônibus em São Paulo”, que ocorre das 13h30 às 14h30 na Diretoria Regional de Guaianases – EMEF Olinda Menezes Serra Vidal (Rua Várzea Nova, 40 Cidade Tiradentes). Nos dias 18, 19, 20, 21 e 22 de setembro, monitores treinados pela SPTrans, apresentarão aos “passageiros do futuro”, estudantes de escolas municipais da região Leste, com idades entre 11 e 12 anos, como andar de ônibus, entender os códigos dos veículos e orientação de cidadania no transporte.

Já a Virada da Mobilidade promove o evento “Mobilidade Corporativa”, onde empresas apresentam casos reais e novas soluções em mobilidade urbana, todas alinhadas a novas tendências e a resultados que mudariam a vida das cidadãs e cidadãos. Inscrições podem ser feitas aqui.

#Quinta-Feira | 21/09

Na próxima quinta, às 9h30, a Rede Nossa São Paulo e Cidade dos Sonhos promovem um debate sobre mobilidade urbana, discutindo o transporte como direito social, mobilidade ativa e acessibilidade, mudanças climáticas e sobre o Plano de Mobilidade Urbana como tema transversal.

O debate trará os resultados da Pesquisa de Mobilidade Urbana 2017, que revela a percepção da população em relação ao trânsito e ao transporte público na cidade de São Paulo.  Os resultados são apresentados em um cenário extremamente importante, enquanto o PL da Poluição caminha na câmara dos vereadores e estamos próximo a data em que a prefeitura deve lançar o próximo edital de licitação do ônibus. Entre as novidades desta 11ª edição da pesquisa, estão também os debates sobre o assédio sexual no transporte público e a privatização do Bilhete Único.  

Diversos especialistas estão sendo convidados para discutir os resultados do levantamento, como Ana Odila de Paiva, Clarisse Cunha Linke, Lúcio Gregori, Meli Malatesta, Mila Guedes e Renata Falzoni. O encontro será realizado das 9h às 12h no Auditório do IAB – Instituto de Arquitetos do Brasil, na Rua Bento Freitas, 306 – Centro. As inscrições podem ser realizadas através deste link.

Além disso, a Virada da Mobilidade também promove o Workshop “Inovação em Mobilidade” para discutir tendências tecnológicas no Brasil e no mundo conectadas à mobilidade. Participação de startups que contam suas iniciativas e como elas compõem o cenário nacional e o futuro das cidades. O encontro será das 17h às 20h no Auditório da EY –  Av Chedid Jafet, 70 – 10º andar. Inscrições podem ser feitas aqui.

#Sexta-Feira | 22/09

O Dia Mundial Sem Carro, nesta sexta-feira, oferece algumas atividades para se repensar o transporte na cidade de São Paulo. A Virada da Mobilidade oferece o Desafio Multimodal, onde os inscritos devem usar pelo menos 3 modais diferentes em seus trajetos. O ponto de chegada é a Rua Joel Carlos Borges, no Brooklin, onde será feita uma intervenção. A rua será coberta por um tapete de grama artificial onde ocorrerão diversas atividades relacionadas à saúde, entretenimento e lazer.

#Sábado | 23/09

Para encerrar a Virada da Mobilidade, que tal falar em ‘Dis’mobilidade?’. Será exibido um curta  do o IEA – USP  –  documentário  que mostra as dificuldades de locomoção e transporte que envolvem a região do Hospital das Clínicas e como isso afeta seus pacientes, principalmente aqueles que têm mobilidade reduzida. Na sequência, um debate com Paulo Saldiva e Meli Malatesta sobre o impacto da mobilidade na saúde.

A programação completa pode ser encontrada no site da Virada da Mobilidade e também na plataforma da Prefeitura.

Veja também:

O projeto de destruição da vida pública

A violência da privatização do espaço não se dá apenas na cidade; essa lógica é internalizada pelos seus habitantes. Os crimes de agressão sexual, como o ocorrido na Av. Paulista, em São Paulo, no último dia 29, não podem ser dissociados desse processo.

A RUA GRITA

‘É quando som de preto toca que incendeia o baile’

Cantada pelo músico capixaba Fabriccio, a frase acima integra o single “Teu Pretim”, do disco … Continuar lendo ‘É quando som de preto toca que incendeia o baile’