11 de janeiro de 2018

TransActing: Auto-Retrado.

RESUMO:
O TransActing foi conceptualizado e desenhado por Cecília Erismann, uma poeta e artista paulistana que mora em Berlin – e foi realizado em colaboração com a talentosíssima dançarina Beatrix Joyce e o incrível músico Victor Landau. Quatro coletivos em São Paulo e Berlim (Vaidapé, Dream Acting, Casa Colorida e Transmodernity – the film) se juntaram no dia 14 de novembro para improvisar poesia, dança, música eletrônica e imagem, brincando com o tópico ‘transmodernidade’ e com o papel do público e do artista em dois palcos simultâneos – através da fina conexão da internet e suas projeções que circulavam por entre SP e Berlin!
O registro foi feito pelas lentes da Michela Filzi e pelas palavras do poeta e escritor Benjamin Wagner.

http://vaidape.com.br/2018/01/yemanja/ )

Onde aconteceu?
No Brasil, o evento foi acolhido na intimidade e good vibes da Casa Colorida em colaboração e apoio com a Revista Vaidapé.
O palco principal foi no espaço coletivo KAOS em Berlin, no evento Transmodernity – the film Soli Party, logo após uma meditação coletiva guiada pela Tina Atl, uma das protagonistas do documentário. O resultado de toda essa conectividade e co-criação foi algo de tirar ar e receber muito carinho tudo ao mesmo tempo!

SOBRE A PERFORMANCE:
O processo de co-criação em dois palcos simultâneos refletia sobre as mudanças positivas (e necessárias) no mundo, assim como encarava os desafios que todos nós andamos vivendo mundo afora! Com a intenção de expressar o conhecimento e preparação prévia sobre o tópico de uma maneira viva, sincera e leve, cada indivíduo envolvido era convidado a se voltar para suas próprias experiências cotidianas e encontrar lá a força para se expressar. Nem o público escapava, este tinha uma posição bem especial em ambas as partes do mundo: de um lado, estava sendo performatizado (SP) e projetado no palco principal – de outro (Berlin), se tornava um cuidadoso observador e influenciador. Sem fronteiras, dançando a poesia musicada, a música poetizada – por entre o visível e o invisível, o toque e a distância, o real, super real e o imaginário, encontro. Duas partes diferentes do mundo se conectando através da arte, tecnologia e propósito – artistas e públicos se juntando para co-criar e celebrar. Foi lindo!

O que rolou de fato?
Eu, Cecília Erismann, improvisei poesia em 5 idiomas (português, francês, inglês, alemão e espanhol) em cima de meus estudos, notas pessoas e reflexões sobre o tópico, enquanto o Victor Landau improvisava e brincava em cima com sua incrível música eletrônica e a Beatrix Joyce colocava todas as palavras, músicas, sentimentos e imagens que estavam sendo geradas em movimento, através de sua expressiva e incrível dança contemporânea.

Enquanto isso, no Brasil, a revista Vaidape e a Casa Colorida abriam um palco íntimo para fazer a ponte e improvisar através da projeção e conexão direta – os corpos paulistanos dançando por entre os corpos berlinenses.
Entre no link para ter acesso ao vídeo e ao texto da performance.
https://www.ceciliaerismann.org/copy-of-i-will-would-you  ).

Sobre o documentário ‘Transmodernity – O filme’ e o evento. :
‘Transmodernity” é um documentário independente sendo realizado pelas alemas Luisa Dahringe e Halea Isabelle Kala. A idéia delas, assim como a de todos os envolvidos no evento, é a de conectar e inspirar pessoas ao redor do mundo, focando nos agentes de mudança e suas iniciativas. Na ocasião da performance, elas estavam celebrando a viabilização desse trabalho.
Luisa: “A nossa noite mágica, ‘Enter the Trans’, foi a nossa festa de crowdfunding do documentário. Foi um dia e uma noite e mais um dia bem intensos e bonitos de celebração. Éramos como um arco-íris composto de músicos, artistas, performers, DJs e oficinas xamãs do mundo todo. Transacting, a performance/ato proposto pela poeta Cecília Erismann em colaboração com os artistas Beatrix Joyce e Victor Landau foi um dos presentes lindos na noite – e nós todas estamos imensamente agradecidas por ter tido uma performance tão única e sincera a bordo.

SOBRE O COSTUME:
O costume da performance foi feito pela talentosa Laëtitia Michal. O trabalho dela brinca com as dualidades e contrastes entre o tradicional e o moderno, perfeições e imperfeições, formatos e cores. Um sonho! O costume para o Transacting foi confeccionado na antiga técnica de feltro de nuno, técnica na qual a lã merino e o tecido de seda fina se entrelaçam para criar esta forma orgânica e minimalista, sem costura. A idéia nasceu da vontade de traduzir e transmitir um senso de algo pleno, completo, ao mesmo tempo que ousado. Uma forma maternal e circular/lunar na parte do estômago encontrava o seu contraponto na ousada transparência em toda a peça..

Artistas envolvidos:
Beatrix Joyce
Benjamin Wagner
Cecília Erismann
IsaBella Maia
Jéssica Paola
Pedro Alves
Victor Landau

Coletivos/organizações envolvidas:
Casa Colorida
Dream – Acting (https://www.facebook.com/dreamactingproject)
Female Narratives (http://www.femalenarratives.com/)
Laetitia Michal ( http://www.laetitiamichal.com/ )
Revista Vaidapé (http://www.vaidape.com.br/)
Transmodernity – The Film https://www.transmodernity.org/

Planos futuros:
O Dream Acting, principal realizador dessa performance está cheio de planos e sonhos para 2018! Fiquem ligados na nossa próxima ação pelas ruas em diferentes partes do mundo – incluindo SP! ‘Dream Acting – Free Wishes’ está vindo por aí e promete muita energia positiva e conectividade!
Com a participação a participação da Vaidapé, irá acontecer uma ação nas ruas de cinco cidades do mundo, conectando desejos e pessoas de diferentes lugares com diferentes questões e esperança para um futuro em cada um desses lugares, visando encontrar o que há de comum entre todas essas pessoas. Siga as páginas e acompanhem o evento.
( https://www.facebook.com/events/834929153335077/ ).

 

A RUA GRITA

Volta Negra: a história do negro no Centro de São Paulo

Novo ciclo de caminhadas da Volta Negra começa neste sábado e tem atividades programadas para os próximos dois meses

A RUA GRITA

Últimos 3 dias para ajudar: Cora Primavera vai às ruas!

Criado pela Cia. Nada Pensativo, peça Cora Primavera aborda questões como transfobia e violência contra … Continuar lendo Últimos 3 dias para ajudar: Cora Primavera vai às ruas!

A RUA GRITA

Volta Negra: um caminho da História de São Paulo

A caminhada acontecerá por pontos da cidade como a Praça da Liberdade, a estação Anhangabaú de Metrô e a Praça Antônio Prado. Até o século XIX, esses locais sediavam, respectivamente, a Forca, o Mercado de Escravos e a Igreja da Nossa Senhora do Rosário dos Homens Pretos.

A RUA GRITA

Entrevistamos a rapaziada que pixou o tradicional Beco do Batman

Os coletivos PIXOAÇÃO e ARDEPIXO pixaram o internacionalmente conhecido Beco Batman que abriga obras dos … Continuar lendo Entrevistamos a rapaziada que pixou o tradicional Beco do Batman